Início » Artigos » Cerco de Jadotville » Filme Cerco de Jadotville

Filme Cerco de Jadotville

Prof. Esp. Pedro Silva Drummond

O filme Cerco de Jadotville, retrata a Guerra Civil na República Democrática do Congo, em 1961, um ano após a Independência da Nação. Durante esse período, o mundo passava pela Guerra Fria, e o Congo também se tornou palco dessa disputa ideológica.

Após a independência do País, Patrice Lumumba foi eleito Primeiro-Ministro, e foi após a sua eleição que iniciou a crise institucional na região. O governante eleito tinha o apoio da URSS, e Moise Tshombe, governador da província de Katanga, adversário político de Lumumba, era um político anticomunista e recebia apoio de grupos capitalistas, como os exploradores de minérios. Katanga era uma região rica em Cobre e Cobalto, importante para as grandes potências Mundiais.

O filme tem início com a morte de Lumumba e a discussão na ONU do envio de tropas para o Congo. O representante da ONU para os assuntos do Congo, Conor O’Brien, consegue uma aprovação para o envio das Forças de Paz, que são retratadas no filme, por uma tropa irlandesa, Companhia A, sem experiência em combate.

A chegada das tropas na região é cercado de diversas dificuldades, o complexo onde a tropa ficaria sediada, era totalmente exposto aos ataques inimigos, os suprimentos no local, eram suficientes para poucos dias, e para piorar a situação, no mesmo momento que os soldados da ONU chegaram ao local, Tshombe, pediu e conseguiu com o governo francês o envio de ex-legionários franceses para defenderem seus objetivos.

A Guerra Civil foi eminente, após o início da Operação Mothor, quando uma tropa da ONU, na capital da região matou 30 civis na Radio Katanga, a resposta imediata foi o ataque às tropas irlandesas da ONU.

Após dias de ataque as tropas ficaram sem munições e reforços, não restando alternativa que a rendição dos soldados. O filme também retrata um acontecimento que até hoje é cheia de mistérios, que foi a morte do Secretário Geral da ONU, Dag Hammarskjöld.

Após a rendição os soldados ficaram presos por 1 mês e após a chegada na Irlanda foram tratados como covardes e com o risco de irem a Corte Marcial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *