Pular para o conteúdo

Armaduras Medievais X

Assim como a armadura de placas atingiu seu apogeu no Renascimento, seu uso no campo de batalha estava se tornando obsoleto. As táticas de cavalaria leve e a crescente prevalência de armas de pólvora significavam que os cavaleiros pesados, em armaduras brilhantes, eram cada vez mais anacrônicos, um retrocesso a um passado feudal imaginário de cavalaria e honra que não fazia mais sentido ou tinha alguma utilidade no campo de batalha.

Muito do que pensamos (e vemos em produções cinematográficas) como armadura medieval foi inventado no final da Idade Média tardia, quando os aristocratas construíram sua herança na disputa de torneios em armaduras espetaculares, mas extremamente impraticáveis para uso militar real. As armaduras de justas eram especializadas, e foram produzidas do final dos séculos XV ao XVI. Tais armaduras podiam pesar até 50 kg e como não se destinavam ao combate livre, não precisavam permitir a livre movimentação, sendo o único fator limitante o peso máximo que um cavalo de guerra da época podia carregar. A justa medieval tem suas origens nas táticas militares da cavalaria pesada durante a Alta Idade Média. Desde o século XV, a justa tornou-se um esporte (hastilude) com menos relevância direta para a guerra, por exemplo, usando armaduras e equipamentos especializados separados.

Alguns exemplos de armaduras de placas do século XVI mostram tentativas de fazê-las à prova de balas, com camadas extras e placas extra-grossas intercambiáveis, mas que eram inúteis. Em meados do século XVII, as armaduras de placas eram principalmente cerimoniais, com todas as tropas leves descartando, quase que inteiramente, as armaduras de placas e com couraças retidas apenas em meio a um punhado de unidades de cavalaria leve. A Era da Armadura Medieval tinha chegado ao fim.

Link: https://www.instagram.com/p/CcqfINdPG5l/

Tradução e adaptação: Prof. Dr. Ricardo Cabral

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.