Batalha 4 de Maio de 1823: Guerra de Independência do Brasil

de

Prof. Dr. Ricardo Pereira Cabral

Nesta data ocorreu o combate naval entre a Esquadra Brasileira, comandada pelo almirante Thomas Cochrane, e a Esquadra Portuguesa comandada pelo almirante Felix dos Campos ao largo de Salvador.

A Esquadra Portuguesa navegava em duas colunas, uma com nau D. João VI, de 74 peças, seguida pela Fragata Constituição, de 50, pela Escuna Príncipe Real, de c26, pela Charrua Princesa Real, de 28, e pelas Corvetas Calipso, de 22 peças, e Dez de Fevereiro, de 26; a outra coluna liderada pela Fragata Pérola, de 44 peças, seguida pelas Corvetas São Gualter, de 26, Regeneração, de 22, e Princesa Real, de 24, com um total de 342 canhões.

A Esquadra Brasileira era composta pela nau Pedro I (74), fragatas Ypiranga (52) e Niterói (38); corvetas Maria da Glória (30) e Liberal (22); brigue Guarani (16). Os navios estavam precariamente aparelhados, dotados de tripulação heterogênea (brasileiros, muitos sem nenhuma experiência no mar ou de combate, portugueses e ingleses) e armados com 232 canhões.

Os portugueses formaram a linha de batalha, emparelharam com a esquadra brasileira já formada e que estava a barlavento. Cochrane notou um espaço entre a Escuna Príncipe Real e a Charrua Princesa Real, não hesitou em aproveitá-lo para cortar a coluna portuguesa nesse ponto para tentar aniquilar a sua retaguarda antes que o centro e a vanguarda pudessem socorrê-la. Apesar da manobra audaciosa, os navios portugueses conseguiram escapar. Além dos problemas materiais e da baixa eficiência da tripulação, a grande maioria dos marinheiros portugueses a bordo dos navios brasileiros se recusaram a lutar contra a esquadra lusa.

Tendo em vistas as circunstâncias o combate foi considerado uma vitória.

Quer saber mais sobre a Guerra de Independência do Brasil, entre nas categorias do site.

Ricardo Cabral

Sobre o autor

Ricardo Cabral

Professor de História formado pela UGF. Mestrado e Doutorado em História pela UFRJ. Autor de artigos sobre História Militar e Geopolítica.

2 comentários em “Batalha 4 de Maio de 1823: Guerra de Independência do Brasil”

  1. Prof., a ideia de que possa ter sido uma vitória é bem compexa, pois Cochrane teve de se retirar e quase ficou em uma situação bem perigosa… analisei vários documentos da baralha, que descrevi em “Independencia e Morte” . Abs!

Deixe um comentário

Gostou dos artigos e postagens?

Quer escrever no site?

Consulte nossas Regras de Publicação e em seguida envie seu artigo.

Siga-nos nas Redes Sociais