Pular para o conteúdo

Batalha de Tannenberg (1410)

A Batalha de Grunwald ou Batalha de Tannenberg ocorreu em 15 de julho de 1410, entre o Reino da Polônia, o Grão-Ducado da Lituânia e seus aliados de um lado, e os Cavaleiros da Ordem Teutônica do outro. Foi a batalha decisiva da Guerra Polaco-Lituana-Teutônica (1409-1411) e uma das maiores batalhas da Europa medieval.

No verão de 1410, um exército liderado pelo rei Jagiellon e pelo grão-duque Witold da Lituânia avançou sobre Marienberg, a capital dos Cavaleiros Teutônicos. Estes enfrentaram os invasores entre as aldeias de Grunwald, Tannenberg e Łodwigowo no que era então território da Ordem, e agora faz parte da Polônia. Embora em menor número, os Cavaleiros estavam confiantes na força de sua disciplinada cavalaria couraçada.

As linhas opostas foram traçadas no início da manhã, mas até o meio-dia prevaleceu um impasse. Expostos ao sol de verão, os Cavaleiros cozinhavam dentro de suas armaduras. Uma tentativa de disparar um par de bombardas – canhões de cerco – contra as tropas polaco-lituanas não teve efeito. O Grão-Mestre von Jungingen, reduzido a insultos em seu desespero para provocar seu inimigo à ação, enviou espadas para Jagiellon e Witold com o conselho irônico de que eles poderiam achá-las úteis se travassem uma batalha.

Eventualmente, a luta começou, com rápido sucesso para os Cavaleiros Teutônicos. Confrontando com a cavalaria lituana à direita inimiga, os cavaleiros de ataque os varreram do campo. Retornando da perseguição, eles se juntaram à luta mais dura contra os poloneses na esquerda polonesa-lituana. Novamente os Cavaleiros levaram vantagem, mas a batalha prosseguia.

Relatos contemporâneos do que aconteceu na Batalha de Grunwald são extremamente incompletos, embora alguns cronistas tenham enfatizado que os Cavaleiros da Ordem Teutônica estavam em grande desvantagem numérica. O exército polaco-lituano se alinhou com a cavalaria pesada polonesa à esquerda e a cavalaria leve lituana à direita. Aparentemente, eles se juntaram a escaramuçadores tártaros comandados por um ex-cã da Horda Dourada e guerreiros boêmios sob o líder hussita Jan Zizka.

READ  Supermarine Spitfire

Após horas de luta feroz, o Grão-Mestre von Jungingen liderou uma força de cavaleiros que ele havia mantido em reserva em uma investida contra os poloneses na esperança de matar o rei polonês, mas ele foi morto por uma lança atravessada na garganta. A carga falhou e o exército da Ordem quebrou. Alguns cavaleiros fugiram para bosques e pântanos próximos, outros recuaram para a vila de Grunwald, onde organizaram uma defesa de carroças amarradas com correntes (em antecipação ao Velho Oeste séculos depois). A defesa foi quebrada e foi dito que o povo da aldeia se juntou à matança e mais corpos foram encontrados lá do que em qualquer outro lugar no campo de batalha.

Os Cavaleiros mantiveram sua fortaleza de Marienburg, mas muitos castelos prussianos se renderam aos poloneses e lituanos. Para fazer a paz, em 1411, a Ordem teve que pagar uma indenização substancial. A vitória polonesa-lituana marcou o início do declínio dos Cavaleiros Teutônicos como potência militar e a batalha foi classificada desde então como uma das mais importantes de toda a história polonesa.

No final do dia, na Batalha de Grunwald (1410), a maioria das tropas dos Cavaleiros Teutônicos estava morta ou prisioneira. De acordo com os registros da folha de pagamento teutônicos, apenas 1.427 homens retornaram a Marienburg para reivindicar seu pagamento. Dos 1.200 homens enviados de Danzig, apenas 300 retornaram. Entre 203 e 211 irmãos da Ordem foram mortos, dos 270 que participaram da batalha, incluindo grande parte da liderança teutônica.

Os corpos de von Jungingen e outros oficiais de alto escalão foram transportados para o Castelo de Marienburg para serem enterrados em 19 de julho. Os corpos de oficiais teutônicos de baixo escalão e 12 cavaleiros poloneses foram enterrados na igreja em Tannenberg, e o resto dos mortos foi enterrado em várias valas comuns.

READ  Batalha de Tannenberg: Uma das primeiras derrotas da Rússia para Alemanha na Primeira Guerra Mundial

Os Cavaleiros Teutônicos nunca recuperaram seu domínio, e a Polônia-Lituânia se tornou a maior potência da Europa Oriental. A Ordem ficou com poucas forças para defender seus territórios restantes e teve dificuldades para recrutar novos cruzados voluntários. Os Grão-Mestres então precisavam contar com tropas mercenárias, o que provou ser um dreno caro em seu orçamento já esgotado. Os conflitos internos, o declínio econômico e os aumentos de impostos levaram à agitação e à fundação da Confederação Prussiana, ou Aliança contra o Senhorio, em 1441. Isso, por sua vez, levou a uma série de conflitos que culminou na Guerra dos Treze Anos (1454).

Apesar da escala de sua vitória, o exército polaco-lituano não conseguiu tomar Marienberg e a paz foi feita no ano seguinte em termos moderados. A vitória é comemorada nas histórias nacionais da Lituânia, Polônia e Belarus. Quando os alemães triunfaram sobre os russos nos estágios iniciais da Primeira Guerra Mundial, eles chamaram a batalha de Tannenberg para que pudessem reivindicar vingança pela derrota depois de meio milênio.

Fontes:

https://www.instagram.com/p/CZAMLbtv5rL/

https://www.instagram.com/p/CZH_6RWP4jD/

https://www.instagram.com/p/CZKj3OEPzn4/

Tradução e adaptação: Prof. Dr. Ricardo Cabral

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.