Pular para o conteúdo

Armaduras Medievais III

A relativa escassez de armaduras metálicas começou a mudar durante a Alta Idade Média, entre 1000 d.C e 1250 d.C. A Alta Idade Média (o tempo da conquista normanda da Inglaterra e as primeiras Cruzadas) viu o surgimento dos primeiros grandes estados unificados desde o colapso do Império Romano, bem como um crescimento populacional significativo. Isso permitiu efetivos militares muito maiores, bem como a especialização manufatureira necessária para apoiar operações de metalurgia.

A armadura de cota de malha expandiu-se do byrnie de manga curta e até a cintura do início do período medieval para a cota de malha completa que cobria o usuário do joelho ao pulso. A tapeçaria de Bayeux mostra claramente um número significativo de tropas normandas e saxãs em cotas de malha completas, e estimativas históricas modernas sugerem que cerca de 20.000 homens participaram da Batalha de Hastings em 1066 dC. Embora a grande maioria dos soldados ainda estivesse provavelmente equipada com pouco mais do que roupas robustas e escudos de madeira, o número de tropas vestindo armaduras de metal eficazes em qualquer campo de batalha provavelmente seria de centenas ou milhares, em vez de dezenas.

Durante o período medieval, muitos centros de fabricação de armaduras de placas se desenvolveram. Os principais centros de blindagem foram estabelecidos na Áustria, Flandres, França, Alemanha e Espanha na Idade Média. Muitos deles foram influenciados por artesãos italianos que exportavam suas armaduras por toda a Europa.

Link: https://www.instagram.com/p/CcQvblbPo-u/

Tradução e Adaptação: Prof. Dr. Ricardo Cabral

READ  Guerra dos Toyota: Como um veículo foi essencial em uma Guerra

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.