Início » Artigos » Era da Vela » Navio de Linha na Era da Vela

Navio de Linha na Era da Vela

Prof. Dr. Ricardo Pereira Cabral

As origens dos navios de linha remontam as carrancas portuguesas do século XVI, especialmente construídos para a travessia do alto mar.

Estes navios transportavam mercadorias e podiam ser armadas canhões de grosso calibre, em caso de guerra. Ao longo do século XVI, sugiram os galeões, navios mais longos e manobráveis em relação as carrancas, e que podiam levar um número maior de canhões e mercadorias.

Inicialmente, as batalhas navais que envolviam grandes esquadras, não tinham uma formação específica. Os navios se aproximavam dos inimigos, atirando com seus canhões e os abordando, quando isso era possível. A colocação dos canhões em linha de bordada e o desenvolvimento da artilharia, obrigou a uma mudança de tática.

Como o tiro sequenciado dos canhões (bordada) era a principal ação ofensiva, a tática naval evoluiu no sentido de permitir que o maior número de navios de uma esquadra, disparasse o maior número de bordadas possíveis. Foi então que surgiu a tática da linha de batalha, que requeria que os navios formassem uma longa linha em fila única.

A esquadra inimiga adotava a mesma formação e as duas linhas de navios navegavam em paralelo bombardeavam uma à outra, até que uma delas conseguisse dominar a outra pelo fogo, fazendo-a retira-se ou render-se. Qualquer manobra realizada pela esquadra, era feita de modo a permitir que seus navios a mantivessem a formação em linha.

A mudança na tática provocou uma mudança no design, e partir do século XVII, os navios que passaram a ser construídos com mais decks a fim de comportarem mais canhões, os grandes navios de linha chegaram a ter 4 decks e mais de 100 canhões. Navios de linha seria aquelas embarcações com o número de canhões necessários para compor a linha de batalha. No século XVIII, o navio de linha mais comum e de menor potência era o chamado “74” com 37 canhões distribuídos em 2 decks, em cada bordo (lado) da embarcação.Podemos citar como navios de linha famosos o HMS Victory, nau capitânia do Almirante Horatio Nelson, na Batalha de Trafalgar, o HMS Infatigable, do Capitão Edward Pellew e a Nau D. Pedro I, da Marinha do Brasil.

Quer saber mais sobre a Idade Moderna, leia o artigo sobre a Guerra dos Trinta Anos, A Guerra da Orelha de Jenkins (1739-1748)A Batalha de Cartagena das Índias (1741)  e os posts sobre Falklands/Malvinas: Origem do Conflito,  Raid on the Medway (2ª Guerra Anglo-Holandesa – 1667)Robert Blake (um dos fundadores da Marinha inglesa), você pode navegar por este link, no nome do texto ou pelas categorias do site.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *