Supermarine Spitfire

de

Prof. Dr. Ricardo Pereira Cabral

Caça monomotor movido à hélice, produzido entre 1938-1948 e em uso até 1961. Foi o único caça utilizado durante toda a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Ao todo, foram construídas 20.351 unidades, em mais de quarenta versões,entre as quais se destacam: Mk I PR de reconhecimento aéreo (1939); Mk V (1941), a mais produzida; Mk IX (1942), equipada com o motor Merlin 61; Versão da série IX mais produzida (mais de 4 mil) foi a LF, com o motor Merlin 66 (1943) e a Mk XIV (1944) com, usando motores Griffon, foi o caça mais veloz do mundo no início de 1944, alcançando 715 km/h a altitude de 7 500 m (a versão Mk1A desenvolvia “apenas” 560 km).

Basicamente o que determinava as versões eram as asas, pois possibilitava carregar mais armas. Nas várias versões o caça foi sendo aperfeiçoado em suas capacidades carregando mais peso (de 2.692 kg a 3.057 kg), com maior alcance (de 1.827 km até 2.462 com tanques externos) e carregando mais armamento (de 8 x metralhadoras .303 de 7,7 mm até na última versão, a MK VI com 2 x canhões Hispano II de 20 mm e 4 x metralhadoras .303 de 7.7 mm Browning).

Durante a Segunda Guerra Mundial além do UK, Canadá e Austrália, a França, a URSS e a Itália (depois da queda do regime fascista) utilizaram o caça. Aliás até os nazistas utilizavam os Spitfire que capturavam.

O Spitfire esteve envolvido em todos os teatros de operação na Segunda Guerra Mundial, Durante a Guerra Fria operou no Sul da Ásia, no Sudeste Asiático e na primeira guerra árabes-israelenses até 1951.

Quer saber mais sobre Aviação e a Segunda Guerra Mundial, entre nas categorias do site.

Ricardo Cabral

Sobre o autor

Ricardo Cabral

Professor de História formado pela UGF. Mestrado e Doutorado em História pela UFRJ. Autor de artigos sobre História Militar e Geopolítica.

Deixe um comentário

Gostou dos artigos e postagens?

Quer escrever no site?

Consulte nossas Regras de Publicação e em seguida envie seu artigo.

Siga-nos nas Redes Sociais